10/05/09

Derivados do Amor;

Acordes breves numa sinfonia sem fim, ouço o mar , agora vejo claramente aquilo que não consegui sentir, não era eu, não agi por mim próprio, senti aquilo que devia sentir, o calor que nos afecta, o arrepio de medo, a vontade de beijar, o fogo ardente que só chama o desejo, o desejo de te beijar. Fui um sem rumo, mais um animal irracional, ou será que não? Não devemos amar, para não sentir? Ou deveremos ter medo da dor que um dia poderemos sentir. Aquilo que mais sonhei, foi encarar teus olhos puros, do azul do mar, tua pele branca e gelada, teus cabelos profundos, inesquecíveis. Teu beijo com sabor a chocolate derretido, que sobremesa de encantar, sorri-o ao ver-te na rua, continuas a passar por mim, pois não me conheces, és só mais um sonho adormecido nas brumas da minha ilusão. Olhas-me nos olhos, mas mais nada fazes. E prossegues com o teu caminho, por mais sinuoso que seja.

7 comentários:

  1. Oh está tão bonito :]

    E eu ainda não gastei as minhas palavras todas contigo ;) ^^
    Beijinhooos**

    ResponderEliminar
  2. nao escreves o superficial. nao. eu entrego-me a uma folha de papel e tenho a certeza que tu tambem tens esse dom

    ResponderEliminar
  3. estas proibido de me contradizer, escreves lindamente sim SIM

    ResponderEliminar
  4. Oh, Obrigada :$
    Mas não está nada de mais :)
    O teu é que está super giro *.*
    Escreves tanto +.+
    :)

    ResponderEliminar

Obrigado pela opinião. : p