09/04/10

Introdução à Política

Hoje em vez de escrever sobre assuntos mais sentimentalistas, vou escrever sobre a relação entre a Política e a maneira como nos deixamos influenciar pelas varias posições partidárias entre os Media.
Vejamos o seguinte, cada vez mais demonstramos não estar interessados em assuntos tão importantes como este e deixamos as nossas escolhas serem influenciadas pelo o que os outros dizem. Isso é errado. Por alguma razão fomos dotados de uma capacidade única, a de pensar e reflectir. E cada vez mais a deixamos de lado. Por exemplo hoje em dia uma grande maioria pensa que a atitudes do Primeiro-Ministro José Sócrates são erradas, injustas, severas e até o acusamos de ser promíscuo. Acusamos-o de ser Homossexual, corrupto quando não temos nada a ver com a sua vida pessoal, nem temos provas de que o mesmo é corrupto isto trata-se apenas de uma má propaganda política que tenta somente denegrir a imagem do Primeiro-Ministro para além de tentar criar uma determinada instabilidade politica.
Na minha opinião, e ao dizer isto não tento de alguma maneira alterar a vossa opinião que isso fique presente, como estava a dizer, na minha opinião, este Primeiro-Ministro foi e é um exemplo para todos nós, e não o contrario disso, até agora Portugal teve Primeiros-Ministros que apenas se limitavam a deixar os assuntos passar para segundo plano, em vez de tentar de alguma maneira alterar a nossa situação económica e social, ao contrario deste Primeiro-Ministro. José Sócrates tentou e continua a tentar mudar a situação em que nos encontramos neste momento, que é uma situação bem grave. O nosso País encontra-se com um défice muito elevado, uma corrupção avultada para não falar em outros sectores. O que ele fez foi nada mais nada menos que tentar mudar e alterar vários sectores muito importantes como o da Saúde, o ensino e por aí adiante. Não estou a tentar glorificar o nosso Primeiro-Ministro, pois todos cometemos erros, e ele não é excepção à regra, mas estou somente a dizer que ele não deve ser culpado pelos erros de outros governos, nem a sua vida pessoal deve ser exposta da maneira como tem sido até agora.
Nós Portugueses, somos de facto uma nação que comete muitos erros, somos preguiçosos, conformistas e sem sombra de duvida cada vez mais nos tornamos hipócritas. Tentamos, com bastante sucesso, culpabilizar os outros pelos erros que só nos podemos ser responsabilizados, usamos principalmente um termo definido com Bode expiatório, que apartir deste contexto se define como utilizar um individuo, neste caso o Primeiro-Ministro, responsável pelos nossos erros e pelas nossas frustrações. Continuo a afirmar que o Primeiro-Ministro não é nenhum santo, disso tenho a certeza, mas posso afirmar sim, que é o Primeiro-Ministro que mais se empenhou em tentar alterar a situação em que nos encontramos neste momento.
O que nós estamos a fazer é ultrajante e só demonstra falta de honra e honestidade, pois nós somos uma das principais causas para a situação em que nos encontramos. A nossa falta de honestidade e honra levou-nos a esta situação de ruptura política, social, e diria até intelectual. Vejamos o seguinte, os Media transmitem informações que beneficiam o governo? Acho que todos nós sabemos as resposta a esta pergunta, é claro que vários privilégios foram retirados a inúmeros sectores, mas isso é única opção viável, é também claro que por o roubo pela falta de honestidade e honra de uns, pagam os outros, mas vivemos numa sociedade, e esse é o preço que temos que pagar. Se não tivéssemos fechado centros de saúde, hospitais, alterado privilégios na função publica e retirado ou reduzir pensões o nosso indevidamente publico seria ainda mais avultado.
Peço vós que encarem a verdade como ela é, e que não tentem criar várias versões da mesma, todos nós sabemos essa mesma verdade, está mesmo a frente dos nossos olhos, só não vê quem se esforça para não ver. Se somos dotados de um cérebro, por alguma razão será, não se deixem influenciar pelos outros e comecem a pensar por vocês mesmos. Estamos todos no mesmo barco. E esse mesmo barco encontra-se prestes a afundar, nesse barco encontra-se pobres e ricos é claro que muitos vão tentar saltar fora, mas esses vão ser os primeiros a afogarem-se pois estamos em água profundas, é o nosso dever como Portugueses, lutar para não afundar. Se queremos evoluir teremos de ser mais honestos e civilizados.

2 comentários:

  1. Cada um sabe de si, nem todos podemos concordar nas mesmas coisas. Eu mantenho a minha opinião, esse senhor, pode até ser um dos ministros que mais contribuiu para que este país evolui-se, mas os erros que ele cometeu,fez com que a muitos portugueses, saissem do barco, por não terem outra alternativa.
    Como já referi, nestes assuntos, temos de ser um pouco "liberais", pois cada um tem uma opinião diferente.
    **

    ResponderEliminar
  2. Agradeciamos que visitasse este espaço. «Linguagem das folhas» [http://alinguagemdasfolhas.blogspot.com] - Quem somos? Folhas que falam, e que sentem o vento demasiado extridente. Raizes que secam com a imensa falta de água. Caules, que querem crescer. Rios vazios de peixes, glaciares a deslizarem por mares já um bocado mais poluidos. Somos um bocado da Natureza, que ainda vive, ainda quer viver. Que se quer fazer ouvir, que quer mostrar ao mundo que não é facil, mas que a mudança também não é impossivél. Mas, acima de tudo que a mudança que nós queremos ver no mundo está nas nossas mãos.
    - obrigado, qualquer tipo de divulgação é essencial para a nossa causa. :)

    ResponderEliminar

Obrigado pela opinião. : p